domingo, 24 outubro de 2021
Aqui você fica por dentro de tudo que acontece em Brazlândia.

Brazlândia – DF

Notícias

STF decide que lei anti-homofobia no DF, deve ser respeitada

1 Mins read

Lei aprovada na Câmara Legislativa há 20 anos foi regulamentada em 2013, acabou revogada, voltou a ser regulamentada em 2017 e foi novamente barrada, após decreto de distritais

 (crédito: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
(crédito: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)

Uma lei anti-homofobia gera polêmica há 20 anos no Distrito Federal, apesar de prever apenas penalidades em casos de discriminação contra LGBTs. A lei nº 2.615/2000, aprovada na Câmara Legislativa, passou por uma série de vetos na última década. Mas o Supremo Tribunal Federal (STF) deu palavra final garantindo a legitimidade da legislação do DF e criticando a ação de distritais que derrubaram o texto.

A decisão unânime da Corte aconteceu na última sexta-feira (20/11). Aprovada pela Câmara Legislativa em 2000, a lei, de autoria da ex-distrital Maria José Maninha, só foi regulamentada em 2013, pelo então governador Agnelo Queiroz. Porém, diversas pressões da bancada evangélica de parlamentares resultaram na revogação do decreto que garantia a lei, um dia depois da publicação.

Em 2017, o então governador Rodrigo Rollemberg atendeu à reivindicação dos movimentos LGBT da capital e assinou uma nova regulamentação da legislação\. Mas, novamente, houve um impedimento, três dias depois, quando os distritais aprovaram um projeto de decreto legislativo que derrubou a regulamentação.

Os ministros analisaram essa ação dos parlamentares após um pedido protocolado pelo PSol. A relatora do caso, a ministra Cármen Lúcia, votou pela inconstitucionalidade do decreto dos distritais, analisando que eles interferiram em algo do campo da competência do ex-governador Rodrigo Rollemberg, e ressaltando que a lei não prejudica, de nenhuma forma, a proteção à família, como alegavam as “considerações genéricas” dos parlamentares.

Todos os outros dez ministros acompanharam o voto da relatora. A lei prevê diversas penalidades em práticas discriminatórias em razão da orientação sexual e da identidade de gênero das pessoas. “Como primeiro gay assumido a conquistar uma vaga na Câmara Legislativa, comemoro este marco civilizatório e reafirmo: vai ter LGBTI+ orgulhosa/o de sua sexualidade e identidade ocupando todos os espaços do DF, sim! Nossa afetividade é luta política que se fortalece hoje”, afirmou o deputado distrital Fábio Felix (PSol), em nota.

Informações do Correio Braziliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para lhe ajudar.
👋 Anuncie com a gente!

Os cookies nos ajudam a fornecer, proteger e melhorar nossos produtos e serviços. Ao usar nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Configurações de cookies

Abaixo você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalOur website uses functional cookies. These cookies are necessary to let our website work.

AnalyticalOur website uses analytical cookies to make it possible to analyze our website and optimize for the purpose of a.o. the usability.

Social mediaOur website places social media cookies to show you 3rd party content like YouTube and FaceBook. These cookies may track your personal data.

AdvertisingOur website places advertising cookies to show you 3rd party advertisements based on your interests. These cookies may track your personal data.

OtherOur website places 3rd party cookies from other 3rd party services which aren't Analytical, Social media or Advertising.