Diretor do HRG pede exoneração após denúncias de problemas na unidade

O pedido foi publicado no Diário Oficial do DF desta sexta-feira (13/8). Nesta semana, o Correio publicou uma matéria com denúncias a respeito da situação no Hospital Regional do Gama (HRG)

O diretor do Hospital Regional do Gama (HRG), Renato de Almeida Lima, pediu exoneração do cargo. A decisão foi publicada na edição do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta-feira (13/8). A saída do cargo ocorre três dias após o SindMédico-DF e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF) pedirem a interdição temporária do exercício médico no hospital. De acordo com a denúncia, a situação era caótica. Os problemas foram revelados pelo Correio na terça-feira (10/8). A unidade de saúde passa a ser dirigida por Guilherme Augusto Guerra Avelar.

Segundo a denúncia, os funcionários do HRG relataram problemas como falta de equipamentos, insuficiência de profissionais, falta de insumos, de remédios e de reformas na estrutura do prédio. Além desses problemas, a denúncia apontou que os plantões contavam com um ou dois médicos e que, frequentemente, pacientes internados na ala de emergência ficavam até três dias sem passar por reavaliação. A soma de fatores resultou em mortes que, segundo a acusação, teriam sido evitadas caso houvesse atendimentos adequados a essas pessoas.

Outro caso

No mês de março, um funcionário do HRG também fez uma denúncia sobre o atendimento de pacientes que estavam em tratamento da covid-19. Na época, o profissional relatou, em um prontuário de uma das pessoas internadas na unidade, que havia falta de oxigênio, falta de unidade de terapia intensiva (UTI), de ventiladores mecânicos e de outros equipamentos. A falta de médicos era um dos problemas apontados por esse funcionário do Hospital do Gama.

FONTE: Correio Brasiliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.