Com ganhos de assalto a banco, roubo de gado entra na mira de ladrões

Goiânia – O furto e o roubo de gado, crimes que não são recentes, mas têm ocorrido com certa frequência em estados com rebanho expressivo como Goiás, ganhou um atrativo a mais neste ano. Com o valor recorde da arroba, que superou os R$ 300, o alto preço da carne e as dificuldades de rastreio do animal furtado, ladrões e grupos criminosos começaram a ver no gado um jeito fácil de gerar dinheiro.

A rentabilidade, em alguns casos, dependendo do tipo subtraído, é semelhante a de um furto a caixa eletrônico, por exemplo. Não à toa, investigações já identificaram a migração de quadrilhas especializadas em roubo a banco para o furto de gado. Um caminhão carregado com 20 cabeças de bovinos é equivalente a cerca de R$ 100 mil.

Só nos últimos dois meses, foram várias as ocorrências registradas pela Polícia Militar de Goiás (PMGO), referente à recuperação de gado furtado. O Batalhão Rural, em parceria com o Comando de Operações de Divisas (COD), identificou, entre agosto e setembro, dezenas de vacas e bois alvos de ação criminosa em propriedades rurais de cidades como Perolândia, Caiapônia, Ipiranga de Goiás, Orizona e Cristalina.

Fonte: Galtiery Rodrigues do Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.