Barcelona elimina Fluminense e frustra sonho de semifinais brasileiras

Frio e calculista, time equatoriano suporta posse de bola tricolor, aproveita oportunidade no segundo tempo, cede empate, mas se classifica para enfrentar o Flamengo na próxima fase. Situação de Roger Machado é delicada no time carioca

O sonho de semifinais 100% brasileiras foi frustrado na noite desta quinta-feira pelo Barcelona. Vice-campeão da Libertadores em 1990 e 1998, o time equatoriano segurou empate por 1 x 1 no Estádio Monumental, em Guayaquil, eliminou o Fluminense e será o adversário do Flamengo na disputa por vaga na decisão do torneio continental. Mastriani marcou o gol do triundo aos 27 minutos do segundo tempo ao explorar a linha de impedimento da zaga tricolor e tocar para o gol. A defensa ficou pedindo impedimento inexistente, O placar agregado do mata-mata terminou 3 x 3 depois do empate por 2 x 2 no Maracanã. O Barcelona avança por ter feito mais gols no Rio. 

O outro finalista sairá do duelo entre o atual campeão Palmeiras e o Atlético-MG, vencedor da competição em 2013. A próxima fase será em setembro. As datas reservas para os duelos de ida são 21 e 23 e para a volta, 28 e 30. Atlético-MG e Barcelona disputarão o segundo jogo em casa. Os dois times tiveram campanhas superiores às de Palmeiras e Flamengo, respectivamente.

Vice-campeão estadual e eliminado da Libertadores, o Fluminense se concentra, a partir de agora, nas quartas de final da Copa do Brasil contra o Atlético-MG e no Campeonato Brasileiro. As próximas horas podem ser decisivas para a permanência ou não de Roger Machado no cargo. Há insatisfação com o trabalho do treinador. Rogério Ceni passou a ser um nome especulado nas Laranjeiras.

O técnico Roger Machado surpreendeu na escalação. Depois de muito mistério, apresentou Paulo Hernique Ganso como principal surpresa. A proposta mudou radicamente o plano de jogo tricolor. Obrigado a vencer em Guayaquil, assumiu a posse de bola em vez de deixá-la com o Barcelona. Tentou agredir em vez de esperar contra-ataques. A questão é que o time dificilmente atua dessa maneira nesta gestão. O time tricolor tinha a bola, mas faltavam conexões capazes de confundir a marcação equatoriana e sufocar a defesa adversária.

“Não é momento de colocar a culpa em ninguém. Se a bola entrasse no lance que tivemos no primeiro tempo (finalização de bicicleta de Ganso) era outro jogo. Houve um pênalti para Fred no primeiro tempo e o árbitro não deu. Somos experientes e temos que absorver isso rapidamente”, comentou Samuel Xavier depois da partida. O lance polêmico cobrado por ele foi um bloqueio em Fred no segundo tempo. Houve pênalti e o Fluminense foi prejudicado pela arbitragem. 

Pressionado no cargo, o técnico Roger Machado admitiu o momento difícil na temporada. “As pressões externas são inerentes ao que fizemos em campo na Libertadores. Não me preocupo com o externo, mas com o interno. Transmiti o meu orgulho aos jogadores na oração que fizemos no vestiário. Eles foram ao limite na competição”, comentou o treinador tricolor. 

As principais tentativas do primeiro tempo foram do Fluminense. Aos 13 minutos, Ganso e Fred tabelaram e a bola chegou a Luiz Henrique na entrada da área. O atacante soltou a bomba e a bola passou próxima do travessão.

A equipe carioca voltou a incomodar aos 38. Egídio cobrou escanteio, Ganso finalizou de bicicleta e o goleiro Burrai salvou o Barcelona. O lance tirou o camisa 10 de campo. Ganso caiu em cima do braço e deu lugar a Cazares. Na última tentativa na etapa inicial, Yago acionou Samuel Xavier. O lateral-direito chtuou e viu Burrai fechar o gol novamente.

O segundo tempo começou com uma chance desperdiçada pelo zagueiro León. Ele recebeu cruzamento de Molina, mas cebeceou mal por cima do gol. A resposta tricolor foi polêmica. Fred foi bloqueado pela zaga do Barcelona e pediu pênalti. O árbitro mandou o jogo seguir e nem sequer consultor o VAR. A imagem gerada pela Conmebol flagra falta no centroavante. O Fluminense passou a insistir nos cruzamentos e Fred mandou a bola por cima do gol.

Mais solto no segundo tempo, o Barcelona começou a rondar a área do Fluminense. Aos 27, a defesa do Fluminense posicinou-se em linha. Atento, Hoyos percebeu e deixou Mastriani na cara de Marcos Felipe com um lançamento milimétrico. O atacante tocou para o fundo da rede e correu para o abraço enquanto os tricolores clamavam por VAR. Mastriani quase marcou o segundo em uma finalização sem ângulo e o goleiro tricolor impediu.

No fim do jogo, o VAR entrou em ação e apontou pênalti a favor do Fluminense de River em Luccas Claro. Fred cobrou com perfeição, igualou o placar, mas era tarde demais. A eliminação estava consumada. 

1 BARCELONA (1-4-5-1)
Burrai;
Castillo, León, Riveros e Pineida;
Molina (Carcelén), Piñatares, Adonis Preciado (Montaño) e Damián Díaz (Garcés) e Perlaza (Hoyos);
Mastriani (Cortez)
Técnico: Fabián Bustos

1 FLUMINENSE (1-4-4-2)
Marcos Felipe;
Samuel Xavier, Nino, Luccas Claro e Egídio;
André, Martinelli (Nenê), Yago Felipe (Kayky) e Ganso (Cazares);
Fred e Luiz Henrique (Abel Hernández)
Técnico: Roger Machado

Gol: Mastriani, aos 27, e Fred, aos 52 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Riveros, Damián Díaz, Perlaza e Cortez (Barcelona) | Martinelli, André eNenê (Fluminense)
Púbico e renda: portões fechados
Árbitro: Esteban Ostojich (Uruguai)

FONTE: Correio Brasiliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.