Arrecadação de bares e restaurantes do DF cai 44% na pandemia

Fecomércio pediu ao GDF que regra que estabelece distância entre meses seja revista

Justiça proíbe demissões mais baratas em hotéis, bares e restaurantes do DF
Rafaela Felicciano/Metrópoles
A pandemia do novo coronavírus fez os lucros dos donos de bares e restaurantes do Distrito Federal recuarem 44%. Levantamento da Secretaria de Economia indica que, de fevereiro a outubro de 2019, o setor arrecadou R$ 3.604.233.530,37. Na comparação com o mesmo período deste ano, amealhou somente R$ 1.999.388.161,43.Para tentar evitar mais perdas, empresários, por meio da Fecomércio, encaminharam ao GDF proposta para flexibilizar a regra que estabelece a distância de 2 metros entre as mesas. No pedido, eles requerem permissão para que seja de apenas 1 metro.O pedido endereçado ao governador Ibaneis Rocha (MDB) propõe mudanças no Decreto n°40.939, de 02 de julho de 2020. Segundo os representantes dos estabelecimentos, mesmo após a retomada das atividades, eles continuam contabilizando prejuízos.

“Ressaltamos ser de fundamental importância a reformulação ora solicitada e dela depende a sobrevivência das empresas do setor, que, no momento, convivem com o aumento de custos e impossibilitadas de ampliar suas receitas com o atendimento”, diz um trecho do ofício.

“Nós fizemos essa carta porque os restaurantes até hoje não recuperaram a capacidade inteira de faturamento, está todo mundo com dificuldades”, explica.

Bares e restaurantes

Presidente do Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antoônio da Silva afirma que a receita gerada ainda não é suficiente para arcar com os custos. “Apesar de estarmos abertos, não estamos faturando o suficiente. Inclusive, entra agora o pagamento do décimo terceiro. Se não conseguirmos aumentar o faturamento, como vamos pagar os nossos trabalhadores?”, indaga

De acordo com levantamento da categoria, no Distrito Federal existem cerca de 10 mil bares e restaurantes.

“O nosso pedido é de diminuir de 2 para 1 metro. A gente acredita que essa distância, seguindo todo o protocolo – máscara, álcool em gel -, é suficiente para manter a segurança dos clientes e funcionários”, concluiu o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), João Alberto Ribeiro.

Faturamento

Segundo a Secretaria de Economia, os dados de faturamento do setor foram levantados a partir de notas fiscais eletrônicas. A pesquisa indica que o faturamento do setor decresceu a partir de março, chegando ao ponto mais baixo em junho.

Confira:

O que diz o GDF?

O Metrópoles entrou em contato com o Governo do Distrito Federal (GDF) para obter informações acerca do trâmite do pedido. “O ofício está em análise na Casa Civil”, informou o governo.

Informações Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.