Acusado de matar jovem por receber tapa na orelha é julgado a 15 anos

O crime aconteceu em 21 de abril deste ano, em Águas Claras. A vítima foi morta por disparos de arma de fogo próximo a uma distribuidora de bebidas na região

A Justiça condenou, nesta quinta-feira (19/11), Gilberto Ribeiro Rocha a 15 anos e nove meses de reclusão por matar a tiros Maurício César Chaves. O crime aconteceu em 21 de abril deste ano, em Águas Claras, após a vítima ter zombado do autor e ter dado um tapa na orelha dele.

Na noite do crime, o acusado estava em uma distribuidora de bebidas, próxima ao local onde ocorreu o fato, quando Maurício o encontrou e começou a zombá-lo. Em seguida, ele teria dado um tapa na orelha de Gilberto. Revoltado, o rapaz foi até a residência, onde pegou um revólver calibre 32mm e retornou ao estabelecimento, efetuando disparos de arma de fogo contra a vítima. Após cometer o crime, ele voltou para casa, guardou o armamento e outras 33 munições.

Segundo consta no processo, Gilberto e Maurício se conheciam, mas não tinham amizade íntima. Na sessão de julgamento, o magistrado frisou que o acusado, ao praticar o crime, “demonstrou verdadeira falta de sentimento de empatia coletiva”, pois, de acordo com o juiz, os fatos ocorreram na vigência do decreto governamental, que determinou o recolhimento domiciliar e o isolamento social em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus.

O juiz condenou o réu à pena de 15 anos e nove meses de reclusão, pela prática do homicídio e por porte ilegal de arma de fogo. Ele não poderá recorrer em liberdade.

Informações Correio Braziliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.